sexta-feira, 10 de agosto de 2012

Alterações de Movimento e Lesões - Parte 9 - Considerações Finais


Vamos a um pequeno resumo do que vimos:

Síndrome da banda íliotibial – rotação externa do quadril
Dor patelofemoral – pisada lateralizada*, adução de quadril na fase de apoio, maior impacto
Tendinite de Aquiles – pisada lateralizada e menor velocidade horizontal do centro de gravidade
Dores na perna – maior pronação na fase de apoio


*na caminhada

De maneira simplificada, aí estão os as alterações de movimento identificadas como sendo preditoras das respectivas lesões.

Evidentemente, um ou poucos artigos científicos são insuficientes para afirmar convictamente uma relação causal entre determinada alteração de movimento e lesão. Porém, esses artigos elaborados prospectivamente, ou seja, analisando-se o movimento de pessoas sem dor, e depois comparando esses dados entre um grupo que veio a desenvolver dor, e outro que se manteve “imune” são o início para, eventualmente, o desenvolvimento de uma relação causal cientificamente embasada.

Isso é de grande importância, no que concerne à prevenção de lesões no esporte, seja no de alto rendimento ou no amador. Com a elaboração de relações causais mais sólidas, poderemos identificar com mais facilidade atletas predispostos a esse ou aquele tipo de lesão, e realizarmos a correção de movimento preventivamente.

Por outro lado, o fato de se evidenciar a hipótese que o movimento inadequado é um fator que desencadeia lesões por si só é muito importante. Muitos profissionais da área da saúde poderiam desconsiderar, ou minimizar, essa hipótese justamente pela falta de evidência científica prospectiva, pois artigos retrospectivos evidenciam resultados que sofrem interferência da lesão, ou seja, a informação evidenciada não é acurada. Um importante recurso poderia ser despercebido.

A tendência é que, com a divulgação de artigos dessa natureza, a importância à realização adequada do movimento na prevenção de lesões seja aumentada, e também a eficácia dessa prevenção. Isso é um começo, mas ainda há muito a ser pesquisado.

Encerramos essa série de artigos por aqui. Espero que tenham gostado! 

<<<< parte 8

Um comentário:

  1. Caro Cláudio,

    Preciso agradecer-lhe pela dedicação à divulgação de informações tão importantes! Passei horas no seu blog e agora pretendo lê-lo sempre!
    Você me ajudou bastante, pois tenho lesões recorrentes na tíbia há uns 3 anos. Acredito que houve grande parcela de responsabilidade por conta do overtraining, mas agora consigo associar grande parte das minhas dores à minha pisada supinada também. Hoje faço fisioterapia e tento retomar os meus Km's perdidos...hehehe infelizmente, as dores são muito fortes, mas a cada dia há um pequeno progresso. Não sei se há como treinar sem dores. O meu grande desafio atual é a reprogramação postural. Acredito que a fiosio vai me ajudar bastante.

    Meus parabéns pelo seu trabalho!

    Priscila - corredora de Brasília-DF

    ResponderExcluir

Pessoal, não estamos mais respondendo a comentários. Nossa atenção toda está voltada ao nosso site profissional, o Optima Fisioterapia (www.optimafisioterapia.com.br). Agradecemos à compreensão de todos!

Ocorreu um erro neste gadget
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...